Especialista em Educação em Sexualidade lança livro para pais e educadores
20 Maio | 2019
Lilian Macri participa de evento para pais no Colégio Tableau
6 junho | 2019

Educação em Sexualidade, o que é?

Olá!

No maio laranja, ao falar de prevenção de abuso sexual infantil e no adolescente falamos muito de educação em sexualidade desde a infância. Mas do que se trata? O que inclui? Quem deve fazer?

Primeiramente precisamos saber que sexualidade é muito, mas muito mais que relação sexual. Ela inclui a forma como criamos vínculos com outras pessoas, sejam no relacionamento amoroso, de amizade ou no trabalho. Inclui o conhecimento que temos do nosso corpo, das nossas sensações e como nos aceitamos ou não. Passa por aprender a dizer e receber não, por aceitar a diversidade em suas varias esferas, entre outros.

Portanto para conseguirmos enxergar o que é sexualidade infantil, precisamos esquecer relação e desejo sexuais.

Pois como a maioria de nós não teve a chance de ter este aprendizado, nem pensamos sobre isto e vamos automaticamente à vivência apenas do ato sexual.

E esta construção, este aprendizado começa desde bebê, na forma como interagimos com as pessoas e o mundo ao nosso redor e como eles nos estimulam. E assim, vamos crescendo e aprendendo e de acordo com a faixa etária dúvidas e questionamentos surgem. A curiosidade faz parte da criança e é assim que ela aprende.

A família é o primeiro núcleo na vida dos pequenos, e por isso, precisa participar deste processo.

Para tanto precisamos nos reciclar e entender que o mundo mudou, que a forma de se educar há 50 anos não deve ser a mesma de agora, pois nossos filhos vivem numa outra realidade. Devemos manter o que sempre foi bacana e mudar o que for necessário.

Outro local no qual as crianças passam muitas vezes mais da metade do seu dia é a escola. E acreditem, muitas coisas acontecem lá: curiosidade com relação ao corpo do outro, o auto toque genital, o contato com o diferente nas mais variadas esferas. Portanto, acreditar que simplesmente a escola não deve se colocar é ignorar as necessidades dos nossos filhos.

Devemos sim, questionar a escola que tipo de formação seus profissionais receberam para lidar com as crianças nestas questões, de forma ética e sem impor suas próprias crenças, pois educação não se faz assim.

Além de estar com nossos filhos, a parceria com a escola pode nos ajudar a aprender e lidar com as questões que aparecem em casa.

A educação em sexualidade feita desde a infância deve ter bases em valores éticos, em perceber limites, em entender e praticar respeito.

E é assim, mudando nosso olhar e refletindo sobre tudo isto é que mudaremos o mundo que deixaremos para nossos filhos, de pouquinho em pouquinho, todo dia. E esta mudança precisa acontecer antes de tudo, dentro de nós, enquanto famílias e educadores.

Abraços e até o próximo post!

Lilian Macri